Notícias

Compreendendo as origens do dinheiro – classe inteligente


Quando compramos ou vendemos algo, ou neste caso fazemos uma transação de compra e venda, certamente damos ou recebemos dinheiro em troca. Isso implica a função do dinheiro como curso legal. De acordo com a economia, o próprio dinheiro é uma reserva de valor, o que significa que o dinheiro é uma medida do valor de uso de bens e serviços.

Em sua jornada, o dinheiro como meio de troca legal usado hoje teve uma longa jornada. A partir da fase de troca, dinheiro de mercadorias, moedas, notas e dinheiro eletrônico, que atualmente estão começando a se desenvolver e são amplamente utilizados. Para descobrir a origem do dinheiro, aqui está uma explicação!

1. Permuta

A origem do dinheiro remonta ao escambo. A própria troca é um sistema de comércio que se desenvolveu no início da vida humana, onde a satisfação das necessidades é feita trocando bens por bens.

Por exemplo, se alguém tem uma cabra e precisa de arroz, deve encontrar outra pessoa que tenha arroz e precise de uma cabra. A transação ocorre quando os dois concordam em quantos sacos de arroz equivalem a uma cabra.

2. Dinheiro de bens

Em tempos pré-históricos, um meio fixo de troca começou a surgir e substituiu a troca de bens por bens. Os meios de troca usados ​​foram peles de animais, sal e armas conhecidas como dinheiro por mercadorias. Ao longo dos séculos, esses três objetos foram usados ​​para medir o valor dos bens necessários. No entanto, a dosagem é diferente em cada região. Negociações complicadas ainda são necessárias.

(Leia também: Conheça as 10 moedas mais caras do mundo)

Até o final de 1.100 aC, a sociedade chinesa não usava mais armas como meio de troca. Em vez disso, eles usaram réplicas de armas de bronze, em forma de miniatura. Este meio de troca foi considerado mais prático e menos perigoso do que as armas reais.

3. Moeda

Em 600 aC, o rei Lydia Alyattes, no oeste da Turquia, imprimiu as primeiras cédulas oficiais. As moedas eram feitas de Electrum, uma mistura natural de prata e ouro. Cada moeda é estampada com uma imagem como denominação (denominação da moeda) / O uso dessas moedas ajudou Lydia a aumentar o comércio e se tornar um dos impérios mais ricos da Ásia Menor na época.

4. Notas de banco

Quando Marco Polo visitou a China em 1200, as pessoas naquele país já usavam papel-moeda no comércio. O imperador da China controlava diretamente a circulação de dinheiro e várias denominações. O rigor das regras do sistema de pagamento fica evidente na inscrição em inscrições chinesas que alertam os falsificadores sobre penalidades severas.

Por volta de 1600, o ei europeu começou a usar papel nas notas de bancos que continham valor de face. Essas notas podem ser levadas ao banco a qualquer momento e trocadas por moedas de prata ou ouro, de acordo com o valor de face impresso no papel.

Essas notas de papel podem ser usadas para comprar mercadorias e agir como a moeda atual. Naquela época, os registros bancários eram emitidos por bancos privados e não por bancos estaduais. Esse papel de cédula se tornou o precursor do papel-moeda que conhecemos hoje.

5 E-Money

Na era moderna, moedas e notas foram substituídas pelo mais novo meio de troca conhecido como dinheiro eletrônico ou dinheiro eletrônico. O próprio dinheiro eletrônico é definido pelo Bank Indonesia como um meio de pagamento em formato eletrônico em que o valor do dinheiro é armazenado em determinados meios eletrônicos.

O usuário eletrônico primeiro deposita uma quantia em dinheiro no emissor do dinheiro eletrônico, que é então armazenado em determinados meios de comunicação e será reduzido pela taxa de transação que ele usa. Atualmente, o dinheiro eletrônico tem sido amplamente utilizado em transporte, comércio, estacionamento, bem como em certos pagamentos.





Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo