Notícias

Coisas para saber sobre o ciclo lisogênico?


Assim como outras coisas vivas – animais, plantas e até humanos, os vírus também se reproduzem para se reproduzirem. Chamada de replicação, geralmente ocorre no corpo dos seres vivos, ou seja, nas células dos seres vivos, seja em células bacterianas, animais ou vegetais. Existem dois ciclos reprodutivos nos vírus, a saber, o ciclo lítico e o ciclo lisogênico.

O ciclo lítico ou ciclo lítico em virologia é considerado o principal modo de reprodução dos vírus, pois envolve a destruição da célula hospedeira. A reprodução por meio desse ciclo começa com a anexação do vírus à bactéria. Onde, a enzima viral dissolve a parede celular bacteriana de forma que um buraco é formado e através desse buraco, o vírus entra seu DNA na bactéria. Então, o que dizer do ciclo lisogênico?

O ciclo lisogênico é um ciclo de replicação do genoma viral sem destruir a célula hospedeira, ou seja, o vírus se integra ou combina ou se insere no cromossomo bacteriano, a integração do DNA viral no DNA do hospedeiro forma uma recombinação chamada prophaga.

O termo lisogênico implica que, sob certas condições, ele pode produzir fases ativas que lisam seu hospedeiro devido a fatores ambientais como radiação ou a presença de certas substâncias químicas. É isso que faz com que o vírus mude seu mecanismo reprodutivo de métodos lisogênicos para métodos líticos.

No ciclo lisogênico, vários eventos ocorrem, incluindo a não formação de novos vírions; a célula hospedeira contém prophaga (combinação de DNA viral com cromossomos da célula hospedeira); e a célula hospedeira não é danificada ou não morre, pode até se dividir.

(Leia também: O que você sabe sobre o ciclo lítico da reprodução do vírus?)

Em termos gerais, a reprodução do vírus consiste em 5 fases, nomeadamente a fase de adsorção, a fase de penetração, a fase de síntese (eclifase), a fase de abstinência e a fase de lise.

1. Estágio de Adsorção

Adsorção é o estágio de anexar o vírus à célula hospedeira. Os vírions (partículas virais completas) se ligam aos locais receptores específicos da célula hospedeira usando suas fibras da cauda. Receptores são moléculas especiais na membrana da célula hospedeira que podem interagir ou se ligar a vírus.

2. Estágio de penetração

A penetração é a fase de inserção do genoma viral (material genético) na célula hospedeira. A bainha da cauda se contrai fazendo buracos que penetram nas paredes celulares e nas membranas. Além disso, o vírus injeta seu material genético na célula hospedeira para que o capsídeo viral se esvazie.

3. Estágio de Síntese (Eclifase)

Síntese (eclifase) é a etapa de reprodução do genoma viral (material genético) a partir do material principal do material genético da célula hospedeira. O DNA da célula hospedeira é hidrolisado e controlado por material genético viral para produzir ácidos nucléicos (cópias do genoma) e proteínas componentes virais.

4. Estágio de maturação

A maturação é a fase de fabricação e multiplicação da estrutura do corpo do vírus. Os resultados da síntese na forma de ácidos nucléicos e proteínas são montados em partículas virais completas para formar um novo vírus.

5. O Estágio de Lise

A lise é o estágio de decomposição da célula hospedeira para que novos vírus possam surgir e estar prontos para atacar outras células hospedeiras. Os vírus produzem lisozima, uma enzima que destrói a parede celular do hospedeiro. Danos à parede da célula hospedeira resultam em osmose na célula hospedeira, de modo que a célula hospedeira aumenta e explode.

Siga-nos e curta-nos:





Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo