Animais

Os cães ficam com ciúmes mesmo quando não veem o rival


Pesquisas anteriores mostraram que mais de 80% dos donos de cães relataram observar comportamentos de ciúme de seus cães (vocalizações, comportamento agitado, puxar a coleira) ao prestarem atenção em outros cães. Nova pesquisa publicada na revista ciência psicológica apóia essas observações e descobre que os cães também exibem comportamentos de ciúme quando simplesmente imaginam que seu dono está interagindo com um rival em potencial, neste caso, um cão artificial muito realista.

“A pesquisa apoiou o que muitos donos de cães acreditam fortemente: os cães exibem um comportamento ciumento quando seu companheiro humano interage com um rival em potencial”, disse Amalia Bastos, da Universidade de Auckland, e principal autora do artigo. “Queríamos estudar mais esse comportamento para determinar se os cães, como os humanos, poderiam representar mentalmente uma situação que provocasse ciúme.”

Os cães parecem ser uma das poucas espécies que podem exibir comportamentos de ciúme de maneira semelhante a uma criança humana que demonstra ciúme quando sua mãe dá afeto a outra criança. Em humanos, o ciúme está intimamente relacionado à autoconsciência, que é um dos motivos pelos quais os pesquisadores da cognição animal estão tão interessados ​​em estudar o ciúme e outras emoções secundárias nos animais.

Para testar como e quando os cães exibem um comportamento de ciúme, os pesquisadores apresentaram a 18 cães situações nas quais eles podiam imaginar uma interação social entre seu companheiro humano e um cão falso ou cilindro de lã realista. O cachorro falso servia como um rival potencial para chamar a atenção, enquanto o cilindro servia como controle.

No experimento, os cães observaram o cachorro rival falso colocado ao lado de seu dono. Uma barreira foi então colocada entre o cão e o rival potencial para escondê-los da vista. Apesar de bloquear a linha de visão, os cães se esforçaram para alcançar seus donos quando pareciam acariciar o falso cachorro rival atrás da barreira. Em um experimento repetido usando um cilindro de lã em vez de um cachorro falso, os cães puxaram a guia com muito menos força.

Por meio de seu estudo, Bastos e seus colegas descobriram que os cães exibiam três sinais de comportamento ciumento semelhante ao dos humanos. O comportamento ciumento surgia apenas quando seu dono interagia com um rival social percebido e não com um objeto inanimado; Ocorreu como consequência dessa interação e não devido à mera presença de um rival em potencial; e surgiu até mesmo para uma interação oculta entre seu dono e um rival social.

“Esses resultados apóiam as alegações de que os cães exibem um comportamento de ciúme. Eles também fornecem a primeira evidência de que os cães podem encenar mentalmente interações sociais que induzem o ciúme”, disse Bastos. “Estudos anteriores confundiram o comportamento ciumento com brincadeira, interesse ou agressão, porque nunca avaliaram as reações dos cães ao dono e ao rival social que estavam presentes na mesma sala, mas não interagiam.”

“Ainda há muito trabalho a ser feito para estabelecer a extensão das semelhanças entre as mentes dos humanos e outros animais, especialmente em termos de compreensão da natureza das experiências emocionais de animais não humanos”, disse Bastos. “É muito cedo para dizer se os cães sentem ciúme como nós, mas agora está claro que eles reagem a situações que os induzem, mesmo que ocorram fora de vista.”

Fonte da história:

Materiais fornecido por Associação de Ciências Psicológicas. Nota: o conteúdo pode ser editado quanto ao estilo e comprimento.


Traduzido de Science Daily

Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo