Animais

O estudo do genoma também revelou genes relacionados a outras doenças e fornece a base para novas descobertas – ScienceDaily


Um novo e aprimorado genoma de gato desenvolvido por equipes de pesquisa felina da Universidade de Missouri e da Texas A&M University já provou ser uma ferramenta valiosa para a pesquisa biomédica felina, ajudando a confirmar variantes genéticas existentes e novos genes candidatos que doenças subjacentes em gatos. As novas descobertas são publicadas em 22 de outubro em PLOS Genetics.

Os 94 milhões de amigos felinos peludos que vivem nos Estados Unidos sofrem de muitas das mesmas doenças que seus cuidadores humanos. No entanto, os cientistas não têm a profundidade de ferramentas genéticas necessárias para desenvolver novos testes e tratamentos para gatos.

Para ajudar a corrigir esse déficit, uma equipe de pesquisadores desenvolveu uma nova sequência de genoma de alta qualidade de um gato abissínio chamado Cinnamon, que melhora muito a capacidade de identificar variantes de DNA mais complexas que causam doenças. Eles também usaram 54 genomas de gatos adicionais do Projeto Genoma do Gato 99-Life e os compararam com o genoma do Canela para identificar variações genéticas que possivelmente causam doenças. Uma de suas descobertas foi uma alteração genética que não havia sido associada ao nanismo em humanos e, em casos mais raros, pode estar envolvida na forma humana da doença.

O novo genoma de gato de alta qualidade e as variantes genéticas que ele ajudou a descobrir demonstram o valor deste recurso na descoberta de explicações genéticas para doenças em gatos domésticos. Em trabalhos futuros, a equipe planeja expandir o uso da medicina genômica de precisão para gatos usando este recurso e outros, o que poderia fornecer aos veterinários uma triagem genética mais informativa, detecção precoce da doença e opções terapêuticas posteriores. isso dará melhores resultados com menos efeitos colaterais. Além disso, a pesquisa sobre a conservação da vida selvagem e a pesquisa sobre como os gatos foram domesticados e divididos em diferentes raças também poderiam se beneficiar com o novo genoma.

Fonte da história:

Materiais fornecidos por PLOS. Nota: o conteúdo pode ser editado quanto ao estilo e comprimento.


Traduzido de Science Daily

Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo