Animais

A distribuição de animais vertebrados redefine regiões de clima temperado e frio


A distribuição da vegetação é comumente usada para classificar regiões climáticas em todo o mundo, mas não se sabe se essas regiões são relevantes para outros organismos. Os pesquisadores de Umeå estabeleceram regiões climáticas com base na distribuição de espécies de vertebrados em um novo estudo publicado em eLife. Eles descobriram que, embora as regiões climáticas de alta energia sejam semelhantes entre os grupos de vertebrados e plantas, existem grandes diferenças nos climas temperados e frios.

O clima determina como a vida é organizada em todo o mundo. Compreender quais condições climáticas geram grandes mudanças nos ecossistemas é fundamental para compreender e prever como a vida funciona e evolui.

O bem-estar humano depende fundamentalmente da diversidade de vertebrados, mas ainda não sabemos o suficiente sobre os climas que promovem a organização dessas espécies. Sabemos, por exemplo, que ambientes secos promovem a geração de desertos, e ambientes úmidos e quentes permitem o florescimento de florestas perenes. Mas quais condições conduzem a distribuição de vertebrados como mamíferos, sapos, pássaros e muito mais?

“Para preencher essa lacuna, estudamos os climas que impulsionam a organização dos vertebrados na Terra. Desenvolvemos uma abordagem baseada em rede que conecta as espécies às suas condições climáticas preferidas. Em seguida, procuramos as condições climáticas preferidas por espécies de vertebrados semelhantes.” explica o autor principal Joaquín Calatayud, ex-bolsista de pós-doutorado no Integrated Science Lab, Umeå University, e atualmente trabalhando na Rey Juan Carlos University na Espanha.

Com essa abordagem, os autores apresentaram as regiões climáticas que definem a distribuição dos vertebrados. Os climas de alta energia, como desertos, savanas tropicais e estepes, foram considerados semelhantes em diferentes grupos de vertebrados e plantas. Este não era o caso em climas temperados e frios. As regiões caracterizadas por esses climas diferiram em todos os grupos. Por exemplo, pássaros e mamíferos de sangue quente definem regiões de climas polares que não são observados no caso de anfíbios e répteis de sangue frio. Isso sugere que habitar esses climas requer adaptações climáticas específicas que não apareceram em todos os grupos.

“Nossos resultados indicam que classificações climáticas específicas são necessárias para estudar a ecologia, a evolução e a conservação de grupos específicos de espécies”, diz Joaquín Calatayud.

Este estudo pode estabelecer a base para uma melhor compreensão dos processos ecológicos e evolutivos impulsionados pelo clima, levando a melhores estratégias de conservação, dizem os autores.

“As funções do ecossistema ou os processos evolutivos variam entre as regiões climáticas? As regiões climáticas têm status de conservação semelhante? Estas são algumas das perguntas que nossos resultados podem ajudar a responder.”

Fonte da história:

Materiais fornecido por Universidade Umea. Original escrito por Ingrid Söderbergh. Nota: o conteúdo pode ser editado quanto ao estilo e comprimento.


Traduzido de Science Daily

Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo